JOÃO GENTIL COM CORO E ORQUESTRA SINFÓNICA DE PORTUGAL INTERPRETAM MISATANGO

A Misa a Buenos Aires de Martín Palmeri
6 de abril 2019 | 21h30 | Centro Cultural Olga Cadaval | Auditório Jorge Sampaio

Ficha artística e técnica
CORO E ORQUESTRA DO CORAL SINFÓNICO DE PORTUGAL | Coro convidado – LA CHORALE DES CORDELLIERS (Gap. França) | Tenor convidado – BRUNO ALMEIDA | Barítono convidado: ARMANDO POSSANTE | Mezzo soprano convidada: CÁTIA MORESO | Bandoneon: JOÃO GENTIL | Piano: JOSÉ CORONADO | Maestrina: SARASWATI

A Misatango de Martín Palmerí é inspirada no tango tradicional argentino e, em particular, no novo tango de Astor Piazzolla.
Piazzolla desenvolveu um “tango nuevo”, que deixou de ser apenas música para dançar, mas sim música para os grandes palcos de salas de concertos por todo o mundo, incorporando nele formas rítmicas e desenvolvimentos musicais contemporâneos, dando origem a um género complexo de música e de arte.

A Misa a Buenos Aires, foi apresentada pela primeira vez pela Orquestra Sinfónica de Cuba em 1996, demonstrando o talento ousado de Palmerí ao integrar características estilísticas da linguagem do tango nas suas composições. A base textual desta obra é a clássica missa católica, em latim, que foi musicada durante séculos. A orquestração para mezzo-soprano, coro misto, quarteto de tango e orquestra de cordas permanece próxima aos conjuntos autênticos das orquestras de tango do país natal de Palmerí.

É surpreendente a forma criativa como o compositor usa os recursos de cada instrumento na execução musical. Técnicas típicas do tango, com ênfase especial na parte do ritmo, na qual os instrumentos de melodia são usados também de como percussão, para dar estímulos e impulsos á obra, desempenhando aqui um papel particularmente importante.

O notável som do bandoneon, instrumento protagonista no tango, às vezes utilizado como voz cantada e outras vezes como instrumento rítmico, garante nesta composição de Palmerí a preservação da “alma do tango”. A liderança melódica, a harmonia e as estruturas rítmicas também são reconhecidas como meios estilísticos do tango para não-especialistas.

É com grande riqueza imaginativa e melódica que Palmerí combina as várias cores do tango com as várias características das partes ordinárias constituintes da missa: Kyrie, Gloria, Credo, Sanctus, Benedictus e Agnus Dei.

É uma obra musical magnífica e extraordinária, uma missa em latim, com uma grandiosa tensão dramática, um clímax de ópera de cerca de 40 minutos, com contrastes e recortes entre o coro misto e a solista mezzo soprano.

No dia 6 de abril 2019, no Centro Cultural Olga Cadaval, poderá ainda assistir à apresentação da Missa Criolla de Ariel Ramirez, uma noite de música da América do Sul, com a Argentina no centro e com uma abertura especial dedicada a Astor Piazzolla.

Bilhetes 12.50eur
Duração aproximada: 80min (sem intervalo)

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.